22.12.16

NINGUÉM DESEJA CULPAR NINGUÉM - DDS (Dialogo Diário de Segurança)

04 - NINGUÉM DESEJA CULPAR NINGUÉM

Tentamos fazer um bom trabalho de verificação nas inspeções de risco e seguimos as recomendações que saem destas inspeções. 

Tentamos fazer um trabalho completo de investigação das causas de todos os acidentes. Não fazemos isto para colocar alguém na berlinda ou para culpar alguém. Fazemos isto apenas por um motivo, evitar que novos acidentes ocorram. 

Provavelmente alguns de vocês estejam pensando: “Nenhuma investigação impediu o acidente que está sendo investigado”. 

Se é isto que vocês estão pensando, vocês estão completamente certos. Porém, boas investigações, criteriosas, não tendenciosas podem ajudar em muito na prevenção do próximo acidente. 

Todos os acidentes são provocados - eles não acontecem por acaso. Se descobrirmos a causa do acidente, podemos fazer alguma coisa para eliminá-la e impedir que outro acidente como aquele aconteça. 

Mas se apenas dermos de ombros, se apenas dissermos: “Foi uma coisa desagradável, que podemos fazer? Estas coisas acontecem. Foi um azar”, então podemos estar certos de que outros acidentes como aquele acontecerão. 

A maioria dos acidentes apresenta mais de uma causa. 

Por exemplo, um homem perde o equilíbrio e cai de uma escada. Se na investigação a conclusão teve como causas: “o funcionário não teve cuidado” ou “a proteção não estava no lugar”, estamos parando a investigação sem termos esgotados todas as possibilidades.

Peguemos o caso novamente. O homem que perdeu o equilíbrio e caiu da escada. 

Pergunta-se: 

- A escada estava com defeito? 

- E se estava porque ela estava sendo usada? 

- O homem sabia que a escada estava em boas condições de uso e relatou isto? 

- Se não sabia, ele foi instruído corretamente sobre como e o que inspecionar numa escada, ou a escada estava em boas condições mas foi usada de matreira inadequada? 

- Ela foi colocada num corredor onde uma pessoa poderia esbarrar? 

- Se foi, porque não havia uma pessoa no pé da escada para manter as outras pessoas afastadas?

- Ela deveria ter sido presa no topo? 

- Ela tinha o tamanho correto para o local?

- Ela foi posicionada com o ângulo certo em relação à parede, ou foi o próprio trabalhador que fez algo inseguro?

- Ele estava subindo com algum objeto pesado que poderia ter sido içado por uma corda?

- Se estava, foi dito a ele para usar uma corda?

- Ele segurava objetos com as mãos soltas?

- Ele tentou virar-se para descer a escada de costas para ela?

- Ele tentou segurar algo que foi jogado para ele e perdeu o equilíbrio?

Estas são, acredite ou não, apenas algumas perguntas que podem ser feitas sobre um acidente muito simples. Se investigarmos a fundo em busca da causa ou causas fundamentais, então estamos contribuindo para que possa evitar outros acidentes dessa natureza. 


Acima de tudo a Segurança quer saber se foi totalmente uma questão de falta de cuidado, ou se existiram outras condições que contribuíram para provocar o acidente. A investigação de acidente que seja real, sólida, consistente, profunda e que atinja todas circunstâncias que envolve o acidente é um dos melhores instrumentos que precisamos dominar para trabalhar com segurança. Todos saem lucrando com a investigação neste departamento e lucram com as investigações feitas em outras áreas da Empresa. 

A mesma coisa acontece com as inspeções de segurança e os acompanhamentos das recomendações de segurança Elas são realizadas para e preparadas para identificar ou eliminar as condições de risco. 

Todos os maus hábitos, todas as peças defeituosas dos equipamentos, todas as inconformidades deverão ser relatados ao Gerente, antes que alguém se acidente.


Lembre-se: não estamos atrás da cabeça de ninguém. Não estamos querendo colocar ninguém na berlinda. Apenas queremos impedir que algum de nós se machuque por um acidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário