30.5.17

Bomba de reforço - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Bomba de reforço: Dispositivo hidráulico destinado a fornecer água aos hidrantes ou mangotinhos mais desfavoráveis hidraulicamente, quando estes não puderem ser abastecidos pelo reservatório elevado.

26.5.17

Bomba principal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Bomba principal: Dispositivo hidráulico centrífugo destinado a recalcar água para os sistemas de combate a incêndio.

Bombeiro Profissional Civil - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Bombeiro Profissional Civil: Pessoa pertencente a uma empresa especializada, ou da própria administração do estabelecimento, com dedicação exclusiva, que presta serviços de prevenção de incêndio e atendimento de emergência em edificações e eventos, e que tenha sido aprovado no curso de formação, de acordo com a norma específica.

Bombeiro público (Militar ou civil) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Bombeiro público (Militar ou civil): Pessoa pertencente a uma corporação de atendimento às emergências públicas.

Bombeiro voluntário - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Bombeiro voluntário: Pessoa pertencente a uma organização não governamental que presta serviços de atendimento às emergências públicas.

Botijão - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Botijão: Recipiente transportável de gás liquefeito de petróleo (GLP), com capacidade nominal de até 13 kg de GLP.

Botijão portátil - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Botijão portátil: Recipiente transportável de gás liquefeito de petróleo (GLP) com capacidade nominal de até 5 kg de GLP.

Botoeira “liga-desliga” - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Botoeira “liga-desliga”: Acionador manual, do tipo liga-desliga, para bomba principal.

Brigada de incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Brigada de incêndio: Grupo organizado de pessoas, voluntárias ou não, treinadas e capacitadas para atuar na prevenção, abandono da edificação, combate a um princípio de incêndio e prestar os primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida.

Camada de fumaça (“smokelayer”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Camada de fumaça (“smokelayer”): Espessura acumulada de fumaça abaixo de uma barreira física ou térmica.

Câmara de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Câmara de espuma: Dispositivo dotado de selo de vapor destinado a conduzir a espuma para o interior do tanque de armazenamento de teto cônico.

25.5.17

5.164 visitas diárias no Blogger Bombeiroswaldo - Obrigado a todos pelo acesso. Bombeiroswaldo Feliz da vida...


Canalização - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Canalização: Rede de tubos, conexões e acessórios, destinada a conduzir água para alimentar o sistema de combate a incêndio.

Capacidade extintora - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Capacidade extintora: Medida do poder de extinção de fogo de um extintor, obtida em ensaio prático normalizado.

Capacidade volumétrica - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Capacidade volumétrica: Capacidade total em volume que o recipiente pode comportar, medida em m3.

Carga de incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Carga de incêndio: Soma das energias caloríficas possíveis de serem liberadas pela combustão completa de todos os materiais combustíveis contidos em um espaço, inclusive o revestimento das paredes, divisórias, pisos e tetos.

Carga de incêndio específica - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Carga de incêndio específica: Valor da carga de incêndio dividido pela área de piso do espaço considerado, expresso em megajoule (MJ) por metro quadrado (m2).

Carretel axial - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Carretel axial: Dispositivo rígido destinado ao enrolamento de mangueiras semi-rígidas.

Causa - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Causa: Origem de caráter humano ou material, relacionada com um acidente.

Central de alarme - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Central de alarme: Equipamento destinado a processar os sinais provenientes dos circuitos de detecção, convertê-los em indicações adequadas, comandar e controlar os demais componentes do sistema.

Central de gás - Classificação segundo sua capacidade máxima de armazenamento de recipientes - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Central de gás: Área devidamente delimitada, que contém os recipientes transportáveis ou estacionário (s) e acessórios, destinados ao armazenamento de gás liquefeito de petróleo (GLP) para consumo.


Classificação segundo sua capacidade máxima de armazenamento de recipientes:

a) Classe I: até 540 kg ou 1,0 m3 de GLP (equivalente a 41 botijões de 13 kg ou 12 de 45 kg);

b) Classe II: até 1.080 kg ou 2,0 m3 de GLP (equivalente a 83 botijões de 13 kg ou 24 de 45 kg);

c) Classe III: até 2.520 kg ou 5,5 m3 de GLP (equivalente a 193 botijões de 13 kg ou 56 de 45 kg);

d) Classe IV: até 4000 kg ou 8,0 m3 de GLP (equivalente a 307 botijões de 13 kg ou 88 de 45 kg);


e) Classe V: acima de 4000 kg ou 8,0 m3 de GLP (acima de 307 botijões de 13 kg ou 88 de 45 kg).

Chuveiro automático - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Chuveiro automático: Dispositivo destinado a projetar água, em forma de chuva, dotado de elemento sensível à elevação de temperatura. (Sprinklers)

Circulação de uso comum - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Circulação de uso comum: Passagem que dá acesso à saída de mais de uma unidade autônoma, quarto de hotel ou assemelhado.

Cobertura - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Cobertura: Elemento construtivo, localizado no topo da edificação, com a função de protegê-la da ação dos fenômenos naturais (chuva, calor, vento etc.).

Combate a incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Combate a incêndio: Conjunto de ações táticas destinadas a extinguir ou isolar o incêndio com uso de equipamentos manuais ou automáticos.

Combustibilidade dos elementos de revestimento das fachadas das edificações - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Combustibilidade dos elementos de revestimento das fachadas das edificações: Característica de reação ao fogo dos materiais utilizados no revestimento das fachadas dos edifícios, que podem contribuir para a propagação e radiação do fogo, determinados nas normas técnicas em vigor.

Como construído (“as built”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Como construído (“as built”): Documentos, desenhos ou plantas do sistema, que correspondem exatamente ao que foi executado pelo instalador.

Compartimentação vertical e horizontal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimentação vertical e horizontal: Medidas de proteção passiva, constituída de elementos de construção resistentes ao fogo, destinados a evitar ou minimizar a propagação do fogo, calor e gases, interna ou externamente ao edifício, no mesmo pavimento ou para pavimentos elevados consecutivos. Incluem-se neste conceito os elementos de vedação abaixo descritos:


Compartimentação vertical:

a) entrepisos ou lajes corta-fogo de compartimentação de áreas;
b) vedadores corta-fogo nos entrepisos ou lajes corta-fogo;
c) enclausuramento de dutos (“shafts”) por meio de paredes corta-fogo;
d) enclausuramento das escadas por meio de paredes e portas corta-fogo;
e) selagem corta-fogo dos dutos (“shafts”) na altura dos pisos e/ou entrepisos;
f) paredes resistentes ao fogo na envoltória do edifício;
g) parapeitos ou abas resistentes ao fogo, separando aberturas de pavimentos consecutivos;
h) registros corta-fogo nas aberturas em cada pavimento dos dutos de ventilação e de ar condicionado.


Compartimentação horizontal:

a) paredes corta-fogo de compartimentação de áreas;
b) portas e vedadores corta-fogo nas paredes de compartimentação de áreas;
c) selagem corta-fogo nas passagens das instalações prediais existentes nas paredes de compartimentação;
d) registros corta-fogo nas tubulações de ventilação e de ar condicionado que transpassam as paredes de compartimentação;
e) paredes corta-fogo de isolamento de riscos entre unidades autônomas;
f) paredes corta-fogo entre unidades autônomas e áreas comuns;

g) portas corta-fogo de ingresso de unidades autônomas.

Compartimentação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimentação: Característica construtiva, concebida pelo arquiteto ou engenheiro, na qual se tem a divisão em nível (cômodos) ou vão vertical (pé direito), cujas características básicas são a vedação térmica e a estanqueidade à fumaça, onde o elemento construtivo estrutural e de vedação, possui resistência mecânica à variação térmica no tempo requerido de resistência ao fogo - TRRF, determinado pela norma correspondente, impedindo a passagem de calor ou fumaça, conferida à edificação em relação às suas divisões internas.

Compartimentação horizontal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimentação horizontal: Medida de proteção, constituída de elementos construtivos resistentes ao fogo, separando ambientes, de tal modo que o incêndio fique contido no local de origem e evite a sua propagação no plano horizontal.

Compartimentação vertical - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimentação vertical: Medida de proteção, constituída de elementos construtivos resistentes ao fogo, separando pavimentos consecutivos, de tal modo que o incêndio fique contido no local de origem e dificulte a sua propagação no plano vertical.

Compartimentar - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimentar: Separar um ou mais locais do restante da edificação por intermédio de paredes resistentes ao fogo, portas, selos e “dampers” corta-fogo.

Compartimento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compartimento: Parte de uma edificação, compreendendo um ou mais cômodos, espaços ou andares, construídos para evitar ou minimizar a propagação do incêndio de dentro para fora de seus limites.

Compensadores síncronos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Compensadores síncronos: Equipamento que compensa reativos do sistema, trabalhando como carga quando o sistema está com a tensão alta, e trabalhando como gerador quando o sistema está com a tensão baixa.

Comunicação visual - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Comunicação visual: Conjunto de informações visuais aplicadas em uma edificação, com a finalidade de orientar sua população, tais como: localização de ambientes, saídas, prestação de serviços e propagandas, não se tratando especificamente de sinalização de emergência.

Contêiner - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Contêiner: Grande caixa metálica de dimensões e características padronizadas, para acondicionamento de cargas em geral a transportar, com a finalidade de facilitar o seu embarque, desembarque e transbordo entre diferentes meios de transporte.

Cor de contraste - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Cor de contraste: Aquela que contrasta com a cor de segurança a fim de fazer com que a última se sobressaia.

Cor de segurança - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Cor de segurança: Aquela para a qual é atribuída uma finalidade ou um significado específico de segurança ou saúde.

Corpo técnico - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Corpo técnico: Grupo de estudos formado por profissionais qualificados do CBM, legalmente habilitado no âmbito de segurança contra incêndio e pânico, tendo como objetivos propor normas de prevenção contra incêndio e pânico (PCIP), analisar, avaliar e emitir pareceres relativos aos casos que necessitarem de soluções técnicas complexas ou apresentarem dúvidas quanto às exigências previstas no Regulamento de Segurança Contra Incêndio e Pânico nas edificações e áreas de risco do Estado de Minas Gerais.

Corrimão ou mainel - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Corrimão ou mainel: Barra, cano ou peça similar, com superfície lisa, arredondada e contínua, aplicada em áreas de escadas e rampas destinadas a servir de apoio para as pessoas durante o deslocamento.

Dano - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Dano: Lesões a pessoas, destruição de recursos naturais (água, ar, solo, animais, plantas ou ecossistemas) ou de bens materiais.

Degrau - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Degrau: Conjunto de elementos de uma escada composta pela face horizontal conhecida como “piso”, destinado ao pisoteio e o espelho que é a parte vertical do degrau, que lhe define a altura.

Densidade populacional (d) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Densidade populacional (d): Número de pessoas em uma área determinada (pessoas/m2).

Descarga - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Descarga: Parte da saída de emergência de uma edificação que fica entre a escada e o logradouro público ou área externa com acesso a este.

Deslizador de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Deslizador de espuma: Dispositivo destinado a facilitar a aplicação suave da espuma sobre líquidos combustíveis armazenados em tanques.

Destravadores eletromagnéticos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Destravadores eletromagnéticos: Dispositivo de controle de abertura com travamento determinado pelo acionamento magnético, decorrente da passagem de corrente elétrica.

Detector automático de incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Detector automático de incêndio: Dispositivo que, quando sensibilizado por fenômenos físicos e/ou químicos, detecta princípios de incêndio podendo ser ativado, basicamente, por calor, chama ou fumaça.

Dispositivo de recalque - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Dispositivo de recalque: Registro para uso do Corpo de Bombeiros, que permite o recalque de água para o sistema, podendo ser dentro da propriedade quando o acesso do Corpo de Bombeiros estiver garantido.

Dispositivos de descarga - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Dispositivos de descarga: Equipamentos que aplicam a espuma sob forma de neblina e que aplicam o agente numa corrente compacta de baixa velocidade. Podem ser: Dispositivos que descarregam a espuma sob a forma de aspersão e terminam em um defletor ou uma calha que distribui a espuma; dispositivos que descarregam a espuma sob a forma de uma corrente compacta de baixa velocidade; podem ter ou não defletores ou calhas incluídos como partes integrantes do sistema. Estes dispositivos podem ter formas como as de tubos abertos, esguichos de fluxo direcional, ou pequenas câmaras de geração com bocas de saídas abertas.

Distância de segurança - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Distância de segurança: Afastamento entre uma face exposta da edificação ou de um local compartimentado à divisão do lote, ao eixo da rua ou a uma linha imaginária entre duas edificações ou áreas compartimentadas do mesmo lote, medida perpendicularmente à face exposta da edificação.

Distância máxima horizontal de caminhamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Distância máxima horizontal de caminhamento: Afastamento máximo a ser percorrido pelo usuário para alcançar um acesso.

Distância mínima de segurança - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Distância mínima de segurança: Afastamento mínimo entre a área de armazenamento de recipientes transportáveis de gás liquefeito de petróleo (GLP) e outra instalação necessária para a segurança do usuário, do manipulador, de edificação e do público em geral, estabelecida a partir do limite de área de armazenamento.

Distribuição de GNL a granel - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Distribuição de GNL a granel: Compreende as atividades de aquisição ou recepção, armazenamento, transvasamento, controle de qualidade e comercialização do gás natural liquefeito (GNL), por meio de transporte próprio ou contratado, podendo também exercer a atividade de liquefação de gás natural, que serão realizadas por pessoas jurídicas constituídas sob as leis brasileiras, com sede e administração no País.

Divisória ou tabique - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Divisória ou tabique: Parede interna, baixa ou atingindo o teto, sem efeito estrutural e que, portanto, pode ser suprimida facilmente em caso de reforma.

Dosador - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Dosador: Equipamento destinado a misturar quantidades determinadas de “extrato formador” de espuma e água.

Duto de entrada de ar (DE) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Duto de entrada de ar (DE): Espaço no interior da edificação, que conduza ar puro, coletado ao nível inferior desta, às escadas, antecâmaras ou acessos, exclusivamente, mantendo-os, com isso, devidamente ventilados e livres de fumaça em caso de incêndio.

Duto de saída de ar (DS) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Duto de saída de ar (DS): Espaço vertical no interior da edificação, que permite a saída, em qualquer pavimento, de gases e fumaça para o ar livre, acima da cobertura da edificação.

Duto (“plenum”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Duto (“plenum”): Condição de dimensionamento do sistema de pressurização no qual se admite apenas um ponto de pressurização, dispensando-se o duto interno e/ou externo para pressurização.

Edificação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação: Área construída destinada a abrigar atividade humana ou qualquer instalação, equipamento ou material.

Edificação aberta lateralmente - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação aberta lateralmente: Edificação ou parte de edificação que, em cada pavimento:

a) tenha ventilação permanente em duas ou mais fachadas externas, providas por aberturas que possam ser consideradas uniformemente distribuídas e que tenham comprimentos em planta que somados atinjam pelo menos 40% do perímetro do edifício e áreas que somadas correspondam a pelo menos 20% da superfície total das fachadas externas ou;

b) tenha ventilação permanente em duas ou mais fachadas externas, provida por aberturas cujas áreas somadas correspondam a pelo menos 1/3 da superfície total das fachadas externas, e pelo menos 50% destas áreas abertas situadas em duas fachadas opostas.


Observação: Em qualquer caso, as áreas das aberturas nas laterais externas somadas devem possuir ventilação direta para o meio externo e devem corresponder a pelo menos 5% da área do piso no pavimento e as obstruções internas eventualmente existentes devem ter pelo menos 20% de suas áreas abertas, com aberturas dispostas de forma a poderem ser consideradas uniformemente distribuídas, para permitir a ventilação.

Edificação destinada ao comércio de fogos de artifício no varejo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação destinada ao comércio de fogos de artifício no varejo: Local destinado ao armazenamento e venda de fogos de artifício e estampido industrializados.

Edificação em exposição - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação em exposição: Construção que recebe a radiação de calor, convecção de gases quentes ou a transmissão direta de chama.

Edificação expositora- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação expositora: Construção na qual o incêndio está ocorrendo, responsável pela radiação de calor, convecção de gases quentes e ou transmissão direta de chamas.

Edificação principal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação principal: Construção que abriga a atividade principal sem a qual as demais edificações não teriam função.

Edificação térrea - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Edificação térrea: Edificação de um pavimento podendo possuir mezaninos, sobrelojas e jiraus.

Efeito chaminé (“Stackeffect”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Efeito chaminé (“Stackeffect”): Fluxo de ar vertical dentro das edificações, causado pela diferença de temperatura interna e externa.

Efeito do sistema - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Efeito do sistema: Efeito causado pelo erro de projeto e/ou instalação com configurações inadequadas do sistema onde o ventilador está instalado, ocasionando redução do desempenho do ventilador em termos de vazão.

Elemento de compartimentação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Elemento de compartimentação: Elemento de construção que compõe a compartimentação da edificação.

Elemento estrutural - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Elemento estrutural: Todo e qualquer elemento de construção do qual dependa a resistência e a estabilidade total ou parcial da edificação.

Emergência - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Emergência: Situação crítica e fortuita que representa perigo à vida, ao meio ambiente e ao patrimônio, decorrente de atividade humana ou fenômeno da natureza que obriga a uma rápida intervenção operacional.

Entrepiso - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Entrepiso: Conjunto de elementos de construção, com ou sem espaços vazios, compreendidos entre a parte inferior do forro de um pavimento e a parte superior do piso do pavimento imediatamente superior.

EPI - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

EPI: Equipamentos de proteção individual.

EPI de nível “A” - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

EPI de nível “A”: É o nível máximo de proteção para todas as possíveis vias de intoxicação, sendo por inalação, ingestão ou absorção cutânea. Utiliza-se roupa encapsulada de proteção química, com proteção respiratória de pressão positiva.

EPI de nível “B” - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

EPI de nível “B”: É o nível de proteção intermediário, para exposições de produtos com possibilidade de respingos. Utiliza-se roupa de proteção química conforme especificação da tabela de compatibilidade da roupa.

EPI de nível “C” - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

EPI de nível “C”: É o nível mínimo necessário a qualquer tipo de acidente envolvendo produtos químicos.

EPR - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

EPR: Equipamentos de proteção respiratória.

Escada aberta - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada aberta: Escada não enclausurada por paredes e porta corta-fogo.

Escada aberta externa (AE) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada aberta externa (AE): Escada de emergência precedida de porta corta-fogo (PCF) no seu acesso, cuja projeção esteja fora do corpo principal da edificação, sendo dotada de guarda-corpo ou gradil (Barreiras) e corrimãos em todas sua extensão (degraus e patamares), permitindo desta forma eficaz ventilação, propiciando um seguro abandono.

Escada à prova de fumaça pressurizada (PFP) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada à prova de fumaça pressurizada (PFP): Escada à prova de fumaça, cuja condição de estanqueidade à fumaça é obtida por intermédio de pressurização.

Escada enclausurada - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada enclausurada: Escada protegida com paredes resistentes ao fogo e portas corta-fogo.

Escada enclausurada à prova de fumaça (EPF) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada enclausurada à prova de fumaça (EPF): Escada cuja caixa é envolvida por paredes corta-fogo e dotada de portas corta-fogo, cujo acesso é por antecâmara igualmente enclausurada ou local aberto, de modo a evitar fogo e fumaça em caso de incêndio.

Escada enclausurada protegida (EP) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada enclausurada protegida (EP): Escada devidamente ventilada situada em ambiente envolvido por paredes resistentes ao fogo e dotada de portas corta-fogo.

Escada não enclausurada ou escada comum (NE):- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escada não enclausurada ou escada comum (NE): Escada que embora possa fazer parte de uma rota de saída, comunica-se diretamente com os demais ambientes como corredores, “halls” e outros, em cada pavimento, não possuindo portas corta-fogo.

Escoamento (E): Número máximo de pessoas possíveis de abandonar um recinto dentro do tempo máximo de abandono:- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Escoamento (E): Número máximo de pessoas possíveis de abandonar Escoamento (E): Número máximo de pessoas possíveis de abandonar um recinto dentro do tempo máximo de abandono.um recinto dentro do tempo máximo de abandono.

Esguicho:- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Esguicho: Dispositivo adaptado na extremidade das mangueiras, destinado a dar forma, direção e controle ao jato, podendo ser do tipo regulável (neblina ou compacto) ou de jato compacto.

Esguicho regulável:- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Esguicho regulável: Acessório hidráulico que dá forma ao jato, permitindo o uso d’água em forma de chuveiro de alta velocidade.

Espaço confinado:- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Espaço confinado: Local onde a presença humana é apenas momentânea para prestação de um serviço de manutenção em máquinas, tubulações e sistemas.

Espaço livre exterior:- GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Espaço livre exterior: Espaço externo à edificação para o qual abram seus vãos de ventilação e iluminação. Pode ser constituído por logradouro público ou pátio amplo.

Espaços comuns (“communicatingspace”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Espaços comuns (“communicatingspace”): Espaços dentro de uma edificação com comunicação com espaços amplos adjacentes, nos quais a fumaça proveniente de um incêndio pode propagar-se livremente. Os espaços comuns podem permitir aberturas diretamente dentro dos espaços amplos ou podem conectar-se por meio de passagens abertas.

Espaços comuns e amplos (“large volume spaces”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Espaços comuns e amplos (“large volume spaces”): Espaço descompartimentado, geralmente com dois ou mais pavimentos que se comunicam internamente, dentro do qual a fumaça proveniente de um incêndio, tanto no espaço amplo como no espaço comum, pode mover-se ou acumular-se sem restrições. Os átrios e shoppings cobertos são exemplos de espaços amplos.

22.5.17

Espaços separados - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Espaços separados: Espaços dentro de edificações que são isolados das áreas grandes por barreiras de fumaça, os quais não podem ser utilizados no suprimento de ar, visando restringir o movimento da fumaça.

Espuma mecânica - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Espuma mecânica: Agente extintor constituído por um aglomerado de bolhas produzidas por agitação da água com Líquido Gerador de Espuma (LGE) e ar.

Estação de carregamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estação de carregamento: Instalação especialmente construída para carregamento de caminhões-tanques ou de vagões-tanques.

Estação fixa de emulsificação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estação fixa de emulsificação: Local onde se situam bombas, dosadores, válvulas e reservatórios de extrato formador de espuma.

Estação móvel de emulsificação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estação móvel de emulsificação: Veículo especificado para transporte de extrato formador de espuma (EFE) e o seu emulsionamento com a água.

Estado de flutuação - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estado de flutuação: Condição em que a bateria de acumuladores elétricos recebe uma corrente necessária para a manutenção de sua capacidade nominal.

Estado de funcionamento do sistema - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estado de funcionamento do sistema: Condição na qual a(s) fonte(s) de energia alimenta(m), efetivamente, os dispositivos da iluminação de emergência.

Estado de repouso do sistema - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estado de repouso do sistema: Condição na qual o sistema foi inibido de iluminar propositadamente. Tanto inibido manualmente com religamento automático ou por meio de célula fotoelétrica, para conservar energia e manter a bateria em estado de carga para uso em emergência, quando do escurecimento da noite.

Estado de vigília do sistema - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBM

Estado de vigília do sistema: Condição em que a fonte de energia alternativa (sistema de iluminação de emergência) está pronta para entrar em funcionamento na falta ou na falha da rede elétrica da concessionária.

Estanqueidade - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Estanqueidade: Propriedade de um elemento construtivo da vedação de impedir a passagem de gases e/ou chamas.

Exaustão - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Exaustão: Princípio pelo qual os gases e produtos de combustão são retirados do interior do túnel.

Exercício simulado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Exercício simulado: Atividade prática realizada periodicamente para manter a brigada e os ocupantes das edificações com condições de enfrentar uma situação real de emergência.

5.5.17

Exercício simulado parcial - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Exercício simulado parcial: Atividade prática abrangendo apenas uma parte da planta, respeitando-se os turnos de trabalho.

Expedidor - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Expedidor: Pessoa responsável pela contratação do embarque e transporte de logística envolvendo produtos perigosos expressos em nota fiscal ou conhecimento de transporte internacional. É responsável pela segurança veicular, compatibilidade entre os produtos e a identificação de seus riscos.

Explosivos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Explosivos: Substâncias capazes de rapidamente se transformarem em gases, produzindo calor intenso e pressões elevadas.

Extintor de incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Extintor de incêndio: Aparelho de acionamento manual, portátil ou sobre rodas, destinado a combater princípios de incêndio.

Fachada - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fachada: Face de uma edificação constituída de veios e aberturas, que emitirá ou receberá a propagação de um incêndio.

Fachada de acesso operacional - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fachada de acesso operacional: Face da edificação localizada ao longo de uma via pública ou privada com largura livre maior ou igual a 6 m, sem obstrução, possibilitando o acesso operacional dos equipamentos de combate e seu posicionamento em relação a ela. A fachada deve possuir pelo menos um meio de acesso ao interior do edifício e não ter obstáculos.

Faixa de estacionamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Faixa de estacionamento: Trecho das vias de acesso que se destina ao estacionamento e operação das viaturas do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG).

Fator de massividade (“fator de forma”) (m-1) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fator de massividade (“fator de forma”) (m-1): Razão entre o perímetro exposto ao incêndio e a área da seção transversal de um perfil estrutural, de acordo com a descrição da NBR 14432.

Filtro de partículas - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Filtro de partículas: Elemento destinado a realizar retenção de partículas existentes no escoamento de ar e que estão sendo arrastadas por este fluxo.

Fluxo (F) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fluxo (F): Número de pessoas que passam por unidade de tempo (pessoas/min) em um determinado meio de abandono, adotando-se para o cálculo do escoamento, fluxo igual a 88 pessoas por minuto (F=88), contemplando duas unidades de passagem.

Fluxo luminoso nominal - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fluxo luminoso nominal: Fluxo luminoso medido após 2 min de funcionamento do sistema.

Fluxo luminoso residual - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fluxo luminoso residual: Fluxo luminoso medido após o tempo de autonomia garantida pelo fabricante no funcionamento do sistema.

Fogos de artifício e estampido - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fogos de artifício e estampido: Artefato pirotécnico, que produz ruídos e efeitos luminosos.

Fonte de energia alternativa - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fonte de energia alternativa: Dispositivo destinado a fornecer energia elétrica ao(s) ponto(s) de luz de emergência na falta ou falha de alimentação na rede elétrica da concessionária.

Formulário de segurança contra incêndios - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Formulário de segurança contra incêndios: Documento que contém os dados básicos da edificação, signatários, sistemas previstos e trâmite no Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG).

Formulário para atendimento técnico (FAT) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Formulário para atendimento técnico (FAT): Instrumento administrativo utilizado pelo interessado para sanar dúvidas, solicitar alterações em Processo e Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, solicitar juntada de documentos, solicitar reconsideração de ato em vistoria, entre outros.

Fumaça (“smoke”) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Fumaça (“smoke”): Partículas de ar transportadas na forma sólida, líquida e gasosa, decorrente de um material submetido a pirólise ou combustão, que juntamente com a quantidade de ar que é conduzida, ou de qualquer outra forma, misturada formando uma massa.

Gás liquefeito de petróleo (GLP) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Gás liquefeito de petróleo (GLP): Produto constituído de hidrocarbonetos com três ou quatro átomos de carbono (propano, propeno, butano, buteno), podendo apresentar-se em mistura entre si e com pequenas frações de outros hidrocarbonetos.

Gás natural liqüefeito (GNL) - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Gás natural liqüefeito (GNL): Fluido no estado líquido em condições criogênicas, composto predominantemente de metano e que pode conter quantidades mínimas de etano, propano, nitrogênio ou outros componentes normalmente encontrados no gás natural.

Gases limpos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Gases limpos: Agentes extintores na forma de gás que não degradam a natureza e não afetam a camada de ozônio. São inodoros, incolores, maus condutores de eletricidade e não corrosivos.

Gerador de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Gerador de espuma: Equipamento que se destina a facilitar a mistura da solução com o ar para a formação de espuma.

Grelha de insuflamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Grelha de insuflamento: Dispositivo utilizado nas redes de distribuição de ar, posicionado no final de cada trecho. Este elemento terminal é utilizado para direcionar e/ou distribuir de modo adequado o fluxo de ar em determinado ambiente.

Grupo moto ventilador - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Grupo moto ventilador: Equipamento composto por motor elétrico e ventilador, com a finalidade de insuflar ar dentro de um corpo de escada de segurança para pressurizá-la e expulsar a possível entrada de fumaça.

Grupo motogerador: - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Grupo motogerador: Equipamento cuja força provém da explosão do combustível misturado ao ar, com a finalidade de gerar energia elétrica.

Guarda ou guarda-corpo - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Guarda ou guarda-corpo: Barreira protetora vertical, maciça ou não delimitando as faces laterais abertas de escadas, rampas, patamares, terraços, balcões, galerias e assemelhados, servindo como proteção contra eventuais quedas de um nível para outro.

Habite-se - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Habite-se: Documento em que a Prefeitura Municipal local aceita as obras e serviços realizados e autoriza a sua ocupação.

Heliponto - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto: Área homologada ou registrada, ao nível do solo ou elevada, utilizada para pousos e decolagens de helicópteros.

Heliponto civil - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto civil: Local destinado, em princípio, ao uso de helicópteros civis.

Heliponto elevado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto elevado: Local instalado sobre edificações.

Heliponto militar - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto militar: Local destinado ao uso de helicópteros militares.

Heliponto privado - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto privado: Local destinado ao uso de helicópteros civis, de seu proprietário ou de pessoas por ele autorizadas, sendo vedada sua utilização em caráter comercial.

Heliponto público - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliponto público: Local destinado ao uso de helicópteros em geral.

Heliportos - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliportos: Helipontos públicos dotados de instalações e facilidades para apoio de helicópteros e de embarque e desembarque de pessoas, tais como: pátio de estacionamento, estação de passageiros, locais de abastecimento, equipamentos de manutenção etc.

Heliportos elevados - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Heliportos elevados: Heliportos localizados sobre edificações.

Hidrante - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Hidrante: Ponto de tomada de água onde há uma (simples) ou duas (duplo) saídas contendo válvulas angulares com seus respectivos adaptadores, tampões, mangueiras de incêndio e demais acessórios.

Hidrante de coluna - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Hidrante de coluna: Aparelho ligado à rede pública de distribuição de água, que permite a adaptação de bombas e/ou mangueiras para o serviço de extinção de incêndios.

Hidrante de parede - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Hidrante de parede: Ponto de tomada de água instalado na rede particular, embutido em parede, podendo estar no interior de um abrigo de mangueira.

Hidrante para sistema de espuma - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Hidrante para sistema de espuma: Equipamento destinado a alimentar com água ou solução de espuma as mangueiras para combate a incêndio.

Hidrante urbano - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Hidrante urbano: Ponto de tomada de água provido de dispositivo de manobra (registro) e união de engate rápido, ligado à rede pública de abastecimento de água, podendo ser emergente (de coluna) ou subterrâneo (de piso). 

4.5.17

Iluminação auxiliar - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação auxiliar: Iluminação destinada a permitir a continuação do trabalho, em caso de falha do sistema normal de iluminação. Por exemplo: centros médicos, aeroportos, metrô, etc.

Iluminação de ambiente ou aclaramento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação de ambiente ou aclaramento: Iluminação com intensidade suficiente para garantir a saída segura de todas as pessoas do local em caso de emergência.

Iluminação de balizamento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação de balizamento: Sistema composto por símbolos iluminados que indicam a rota de fuga em caso de emergência.

Iluminação de balizamento ou de sinalização - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação de balizamento ou de sinalização: Iluminação de sinalização com símbolos e/ou letras que indicam a rota de saída que pode ser utilizada em caso de emergência.

Iluminação de emergência - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação de emergência: Sistema que permite clarear áreas escuras de passagens, horizontais e verticais, incluindo áreas de trabalho e áreas técnicas de controle de restabelecimento de serviços essenciais e normais, na falta de iluminação normal.

Iluminação de emergência e de aclaramento - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação de emergência e de aclaramento: Sistema composto por dispositivos de iluminação de ambientes para permitir a saída fácil e segura das pessoas para o exterior da edificação, bem como proporcionar a execução de intervenção ou garantir a continuação do trabalho em certas áreas, em caso de interrupção da alimentação normal.

Iluminação não permanente - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação não permanente: Sistema no qual, as lâmpadas de iluminação de emergência não são alimentadas pela rede elétrica da concessionária e, só em caso de falta da fonte normal, são alimentadas automaticamente pela fonte de alimentação de energia alternativa (bateria).

Iluminação permanente - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Iluminação permanente: Sistema no qual, as lâmpadas de iluminação de emergência são alimentadas pela rede elétrica da concessionária, sendo comutadas automaticamente para a fonte de alimentação de energia alternativa em caso de falta e/ou falha da fonte normal.

Incêndio - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Incêndio: é o fogo sem controle.

Incêndio natural - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Incêndio natural: Variação de temperatura que simula o incêndio real, em função da geometria, ventilação, características térmicas dos elementos de vedação e da carga de incêndio específica.

Incêndio-padrão - GLOSSÁRIO - TERMINOLOGIA DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO – Fonte IT-2 CBMG

Incêndio-padrão: Elevação padronizada de temperatura em função do tempo, dada pela seguinte expressão:

θg=θo + 345 log (8t+1)

Onde:

t - é o tempo, expresso em minutos;

θO - é a temperatura do ambiente antes do início do aquecimento em graus Celsius, geralmente tomada igual a 20º C; 


θg - é a temperatura dos gases, em graus Celsius no instante t.