14.12.17

Incêndios provocados por velas - Medidas de segurança - RW Engenharia

Incêndios provocados por velas



O erro mais comum que as pessoas cometem é estar colocando velas próximas a materiais combustíveis tais como: cortinas, roupas, roupas de cama. A maioria dos incêndios ocasionados por vela acontecem durante os meses de dezembro e janeiro.



Medidas de segurança:

- Manter sempre à vista velas acesas;

- Apague todas as velas ao sair de uma sala ou antes de ir dormir;

- Sempre use um castiçal projetado especificamente para uso de velas;

- O suporte deve ser resistente ao calor e grande o suficiente para conter qualquer pingo ou cera derretida;

- Coloque velas acesas em locais que não vão ser atingidos por crianças, animais de estimação ou qualquer outra pessoa.


- Mantenha velas acesas longe de itens que pode pegar fogo, como móveis, cortinas, roupas de cama, tapetes, livros, papel, etc.


Fonte:


Incêndios provocados por Churrasqueiras - Medidas de segurança - RW Engenharia

Incêndios provocados por Churrasqueiras



A maioria dos incêndios em churrasqueiras ocorrem durante os meses do verão. As principais causas de incêndios em churrasqueiras são falha mecânica ou mau funcionamento, combustíveis colocados muito perto do calor, e comida esquecida na grelha





Medidas de segurança:

- Para grelhadores a gás, a certeza de que a conexão da mangueira está apertada e verifique se existe algum vazamento;

- Feche o cilindro combustível imediatamente depois de grelhar;

- Para churrasqueiras a carvão, evitar a adição de fluido combustível após as brasas terem sido acesas;

- Sempre colocar as brasas em um recipiente de metal com uma tampa apertada depois de terem sido resfriado por 48 horas;

- Nunca deixe de vigiar churrasqueiras a gás ou carvão;

- Sempre use sua churrasqueira ao ar livre e nunca faça churrasco em uma área fechada porque monóxido de carbono pode acumular
e ser mortal;


- Mantenha sua churrasqueira em uma área aberta, pelo menos, 3 metros de distância de edifícios, superfícies com combustíveis, folhas e moitas secas.


Fonte:


Incêndios criminosos - Medidas de segurança - RW Engenharia

Incêndios criminosos


Ações criminosas podem acontecer a qualquer hora, em qualquer dia do ano. As seguintes medidas irão ajudar a manter as residências livres de serem alvo de um incêndio criminoso.



Medidas de segurança:

- Tranque portas e janelas de sua casa e garagem;

- Mantenha limpo as redondezas da casa, sem deixar acumular sacos de lixo, grama alta, folhas secas ou qualquer outra coisa que pode queimar próximos a residências;

- Mantenha a garagem limpa de qualquer coisa que poderia alimentar um incêndio.Não deixe acumular lixo em lixeiras.

- Ponha o lixo de fora nos dias de coleta em sua região;

- Localize lixeiras comerciais e caixas de reciclagem, pelo menos, um metro e meio de distância de tanques de combustível com aberturas no telhado. Utilize recipientes metalizados;

- Coloque fechaduras nas lixeiras, se possível;

- Mantenha arbustos aparados próxímo de portas e janelas para melhorar a visibilidade;

- Mantenha as luzes apagadas durante o dia;


- Considere a instalação de dispositivos que irão ligar automaticamente as luzes externas quando sentem escuridão ou movimentos fora de casa.


Fonte:


13.12.17

Instalação de Gases Medicinais - RW Engenharia - Conceitos Importantes - Projetos e Diagrama da Instalação de Gases Medicinais

Instalação de Gases Medicinais:



  
Conceitos Importantes

Cada unidade de saúde tem uma instalação de gases medicinais e vácuo, e o mais comum utilizado é a melhor forma de instalação dos gases medicinais é por meio de tubulações.


As tubulações de gases medicinais devem atender a NBR 12188 e suas especificações:

- Projetos e Diagrama da Instalação de Gases Medicinais;
- Componentes do Sistema de Gases Medicinais;
- Central de Gases Medicinais;
- Elementos de detecção;
- Tubulações.


Projetos e Diagrama da Instalação de Gases Medicinais

Desenhos de distribuição dos sistemas de gases são importantes para manutenções, identificações, adaptações, ampliações e testes dos sistemas.


Os documentos devem ser mantidos em local de fácil acesso e localização mostrando as posições dos componentes do seu sistema de gases medicinais.


Fonte:


Componentes do Sistema de Gases Medicinais - RW Engenharia - Instalação de Gases Medicinais - Alarme - Alarme de emergência - Alarme operacional - Bateria de cilindros - Bloco central - Caixa de seção - Central de suprimento – Chicote – Coletor - Dispositivo especial de mistura - Mangueira flexível - Painel de controle de pressão - Posto de utilização – Ramal - Rede de distribuição - Sistema centralizado - Suprimento de emergência - Suprimento primário - Suprimento reserva - Suprimento secundário – Válvula - Válvula de alívio de pressão - Válvula auto vedante - Válvula de segurança - Válvula reguladora de pressão - Válvula de retenção - Válvula de seção

Componentes do Sistema de Gases Medicinais - Instalação de Gases Medicinais

Fonte NBR 12188




Alarme:
Dispositivo que emite sinal visual e/ou sonoro para indicar qualquer ocorrência anormal que exija intervenção.

Alarme de emergência:
Alarme que indica a necessidade de intervenção da equipe de saúde.

Alarme operacional:
Alarme que indica a necessidade de intervenção da equipe técnica.

Bateria de cilindros:
Conjunto de cilindros de acondicionamento de gases comprimidos a alta pressão conectados a um coletor antes do bloco central.

Bloco central:
Conjunto formado pelas válvulas reguladoras de pressão, manômetros, válvulas de manobra, debloqueio e de retenção, além de outros dispositivos de segurança e de controle.

Caixa de seção:
Caixa com janela violável, transparente, suficientemente larga para permitir o manuseio da válvula instalada em seu interior.

Central de suprimento:
Conjunto formado pelos suprimentos primário e secundário ou reserva para cada tipo de gás ou vácuo, interconectados de maneira específica, de modo a permitir suprimento contínuo à rede de distribuição.

Chicote:
Dispositivo destinado à interligação de cilindros ao coletor.

Coletor:
Tubo destinado a conectar os cilindros ao sistema de suprimento por meio de serpentinas, chicotes ou mangueiras flexíveis para conduzir o gás ao bloco central.

Dispositivo especial de mistura:
Dispositivo destinado à produção de ar medicinal sintético, a partir de suprimento dos gases nitrogênio e oxigênio.

Mangueira flexível:
O mesmo que chicote.

Painel de controle de pressão:
Conjunto de dispositivos destinado a controlar a pressão de suprimento de gases.

Posto de utilização:
Qualquer um dos pontos de conexão à rede de distribuição nos locais de utilização de oxigênio, óxido nitroso, ar ou vácuo.

Ramal:
Derivação da rede de distribuição, que alimenta diretamente um ou mais postos de utilização.

Rede de distribuição:
Conjunto de tubulações, válvulas e dispositivos de segurança que se destina a prover gases ou vácuo, através de ramais, aos locais onde existem postos de utilização apropriados.

Sistema centralizado:
Conjunto formado pela central de suprimento, rede de distribuição, e postos de utilização destinados a fornecer suprimento contínuo de oxigênio, óxido nitroso, ar e vácuo.

Suprimento de emergência:
Fonte de suprimento independente do sistema centralizado, transportável até o local de utilização, pronto para uso, formado por cilindros de oxigênio, óxido nitroso, ar, gerador de vácuo ou compressor de ar.

Suprimento primário:
Fonte principal de suprimento à rede de distribuição constituída por bateria de cilindros de gás, ou equipamentos concentrador de gás, ou tanque criogênico, ou gerador de vácuo, ou compressor de ar ou sistema para mistura de gases.

Suprimento reserva:
Fonte de suprimento para uso imediato e automático, em caso de falha ou manutenção do suprimento primário e/ou secundário, constituída por bateria de cilindros de gás, ou tanque criogênico, ou gerador de vácuo, ou compressor de ar. Este tipo de fonte não é destinado à operação normal e não entra em rodízio com os demais tipos de suprimento.

Suprimento secundário:
Fonte de suprimento para uso imediato e automático em substituição e/ou complementação ao suprimento primário, em sistema de rodízio, constituída por bateria de cilindros de gás, ou tanque criogênico, ou gerador de vácuo, ou compressor de ar.

Válvula:
Dispositivo capaz de modificar a pressão e/ou vazão (fluxo) de gases e do vácuo no sistema centralizado.

Válvula de alívio de pressão:
Válvula que permite a saída do gás para o exterior caso a pressão no sistema atinja níveis acima do preestabelecido.

Válvula auto vedante:
Válvula para o bloqueio automático e imediato da vazão (fluxo) dos gases e do vácuo quando da desconexão de quaisquer acessórios do posto de utilização.

Válvula de segurança:
Ver válvula de alívio de pressão.

Válvula reguladora de pressão:
Válvula capaz de regular e reduzir a pressão existente na central ou na rede de distribuição a uma pressão compatível com a de utilização.

Válvula de retenção:
Válvula que permite a passagem do gás ou vácuo em apenas um sentido.

Válvula de seção:

Válvula para bloqueio de vazão (fluxo) de oxigênio, óxido nitroso, ar ou vácuo.


Fonte:



Central de Gases Medicinais - RW Engenharia - Instalação de Gases Medicinais - Paredes, pisos e Especificações de segurança do teto de incêndio - Mangueiras flexíveis - Coletor - Válvulas de retenção - Elemento de Detecção

Central de Gases Medicinais - Instalação de Gases Medicinais



Os cilindros de gás medicinal devem ser protegidos com abrigos não combustíveis. De acordo com a NFPA 99 HealthCare Instalações Código 2012, madeira em locais de armazenamento de cilindros não são mais permitidos. Substituir estrutura com materiais considerados não combustíveis. (Código 5.1.3.2.5).

Os cilindros não podem ser armazenados com maquinário movido a motor, com exceção dos compressores de ar que são as únicas máquinas neste local.


Paredes, pisos e Especificações de segurança do teto de incêndio

A localização de sua sala de coletor é uma prioridade, tendo em conta os gases que estão contidas no quarto estão sob alta pressão. As paredes, pisos e tetos devem ter um mínimo de 1 hora de resistência ao fogo.

Gases como oxigênio e óxido nitroso, que podem estar contidos no quarto são “oxidantes”, que iria acelerar um incêndio. Mantendo seu quarto coletor até o código pode evitar um risco de incêndio.


Mangueiras flexíveis

Devem ser instaladas para resistir a pressão de saída dos cilindros, que geralmente são de aço inoxidáveis.

Inspeções dessas mangueiras flexíveis devem ser regulares nas unidades de saúde. Essas peças deterioram e devem ser substituídas antes de falhar.


Coletor

Para ajudar na prevenção de fugas de gás, os tubos devem ser verificados e feito testes de estanqueidade.


Válvulas de retenção

Válvulas de retenção, são componentes que permitem os gases fluírem em uma única direção, são uma medida de segurança importante. Qualquer fluxo de volta irá forçar o fechamento da válvula.



Elemento de Detecção


Um interruptor de pressão irá detectar quando uma pressão conjunto específico excedeu as suas recomendações. Esses sensores devem estar localizados ao longo de sua linha de gás.



FONTE:

Tubulações - Instalação de Gases Medicinais RW Engenharia

Tubulações - Instalação de Gases Medicinais



As juntas devem ser soldadas usando uma liga de brasagem forte.

As ligas devem ser a base de prata e nunca chumbo.

Os materiais mais utilizados são o cobre e aço inoxidável.



Fonte:

Alerta sobre a Obesidade Infantil - A cada cinco crianças Obesas, quatro permanecerão Obesas quando adultas - Banner


Clique no Banner


8.11.17

Agente extintor NOVEC 1230 - Propriedades Físicas - Sistema de supressão a incêndio


SISTEMA DE NOVEC 1230



SISTEMA DE NOVEC 1230


O sistema de supressão a incêndio por NOVEC 1230 é apresentado na forma de sistema fixo de supressão a incêndio convencional ou modular para combate a incêndios das classes A, B e C, por meio de inundação total, utilizando-se do agente extintor NOVEC 1230. O sistema de supressão a incêndio por NOVEC 1230 é projetado e instalado de acordo com os requisitos da Norma NFPA-2001 – ”Clean Agent Fire Extinguishing Systems”.

A exposição ao agente extintor NOVEC 1230 em concentrações de até 10% (NOAEL – No Observed Adverse Level Effect – Nível de Não Observação de Efeitos Adversos), não representa risco para a saúde.

A norma NFPA-2001 (secção 1.6 – Safety) traz as recomendações necessárias quanto à exposição de pessoas aos agentes e alerta que a exposição desnecessária  aos agentes extintores deve ser evitada, bem como as áreas onde ocorreram descarga de agentes devem ser evacuadas o mais rapidamente possível para evitar a exposição aos produtos de decomposição do fogo.



AGENTE EXTINTOR NOVEC 1230

O agente extintor NOVEC 1230, utilizado no sistema de supressão a incêndio, é o único agente químico que consegue reunir qualidades quase semelhantes à dos gases inertes, no que se refere a prevenção de danos ao meio ambiente. Este agente possui ODP (Potencial de Destruição da Camada de Ozônio) igual a zero e um tempo de vida na atmosfera de apenas 5 dias com um GWP (Potencial de Contribuição para o Aquecimento Global) igual a 1,0.

Nenhum outro agente químico apresenta valores tão baixos para o tempo de vida na atmosfera e para o GWP.

O NOVEC 1230 é registrado na EPA sob o TSCA (Toxic Substance Control Act) e ELINCS (European List of Notified Chemical Substances), atende aos requisitos para registro no SNAP e está aprovado para uso em áreas normalmente ocupadas.


Propriedades Físicas

Fórmula Química -------------CF3CF2C(O)CF(CF3)2
Denominação ---- Cetona fluorada (FLUORCETONA)
Peso Molecular Aproximado ----------------- 316,04
Ponto de Ebulição ---------------- @ 1 ATM 49,2 °C
Ponto de Congelamento -------------------- -108 °C


BUCKA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA
C.Postal 54 - CEP: 13315-000 -Cabreúva - S. Paulo - Brasil - Tel: 11- 3935-4280 - Fax: 11-3935-4287 - Web: www.bucka.com.br - e-mail: bucka@bucka.com.br

UNIDADE EXTINTORA PÓ QUÍMICO, TIPO ESTACIONÁRIO MODELO P- 250 (N²) - Descrição - Complementos - Acabamento - Válvula de segurança da tampa - Cilindro de nitrogênio - Válvula do cilindro de nitrogênio - Mangueira - Tabela com características técnicas - Especificação Técnica - Bucka


UNIDADE EXTINTORA PÓ QUÍMICO, TIPO ESTACIONÁRIO MODELO P- 250 (N²)


APLICAÇÃO & USO


DESCRIÇÃO

Extintor de incêndio tipo estacionário, com carga de pó quimico seco à base de bicarbonato de sódio (Totalit Super), fabricado de acordo com a norma NBR 10721, em chapa de aço carbono (SAE 1010/1020). A sua pressurização é feita através do cilindro de nitrogênio (N²) de 40 litros com 150 bar a 21° C, em aço carbono SAE 1541 com válvula ABL .

Extintor de incêndio aplicado no combate ao incêndio em helipontos para helicópteros acima de 4.500 kg.

Destinado à proteção e combate aos riscos de incêndios das classes B (líquidos inflamáveis), C (materiais elétricos sob carga), na capacidade de 250 quilos de agente extintor.
  




COMPLEMENTOS

Recipiente: A sua fabricação é a partir de uma chapa plana de aço, calandrada, com fundo e cúpula estampados a frio, soldados pelo processo MIG, incluindo a abertura para o agente extintor (gargalo). A abertura do tubo pressurizador para conexão da entrada do gás expelente e da saída do pó químico, são também soldados pelo processo MIG. O recipiente é efetuado um teste hidrostático, a uma pressão de 250kgf/cm², o qual deve ser refeito a cada período de cinco anos, a partir da data de fabricação, conforme normas vigentes.

Acabamento:
- Desengraxado;
- decapado;
- fosfatizado;
- Acabamento final tinta na cor vermelha.

Válvula de segurança da tampa:
- Fabricado em latão fundido e regulada para aliviar-se a uma pressão de 21 kg/cm².

Cilindro de nitrogênio:
- Fabricado em tubo de aço sem costura SAE 1541, passa por um processo de repuxo a quente. O fundo é obtido através de caldeamento e conformação mecânica em prensa hidráulica com ferramenta própria.

Válvula do cilindro de nitrogênio:
- De abertura lenta, com disco de segurança para não romper a pressão inferior a 163 Kgf/cm² e nem a superior a 210 Kgf/cm².

Mangueira:
Em borracha com trama de Nylon, na cor preta, com dois lances de Ø 3/4” x 20 m cada de comprimento e com duas pistolas tipo metralhadora.


Segue abaixo, tabela com as características técnicas:




ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

CARACTERÍSTICAS

(01) Recipiente;
(02) Válvula de segurança;
(03) Tubo que liga nas mangueiras;
(04) Mangueiras;
(05) Pistola tipo metralhadora;
(06) Armário para as mangueiras;
(07) Manômetro;
(08) Cilindro de nitrogênio;
(09) Válvula ABL;
(10) Tubo de pressurização;
(11) Base sobre rodas.
 

OBS.: Os dados acima poderão sofrer alterações sem prévio aviso.



BUCKA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

C.Postal 54 - CEP: 13315-000- Cabreúva - S. Paulo - Brasil - Tel: 11- 3935-4280 - Fax: 11-3935-4287 - Web: www.bucka.com.br - e-mail: bucka@bucka.com.br

7.11.17

SISTEMA DE COMBATE A INCÊNDIO POR GÁS FE-227 - principal substituto do Halon

SISTEMA DE COMBATE A INCÊNDIO POR GÁS FE-227





DESCRIÇÃO

O SISTEMA FIXO de FE-227 desenvolvido pela BUCKA, devidamente testado e aprovado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), segundo os padrões de sistemas UL, é uma instalação fixa para aplicação no combate a incêndios.

Este sistema é projetado e instalado de acordo com os requisitos da norma NFPA-2001 - “Clean Agent Fire Extinguishing System”. O sistema Fixo FE-227 ea extingue incêndios, das classes A, B e C, reagindo quimicamente com o fogo e as chamas.

O sistema será acionado, automaticamente, pelo sistema de detecção e controle sendo associado ao sistema de acionamento remoto e manual.

Um dos principais substitutos do Halon, o FE-227 é largamente utilizado para a proteção contra incêndios de Centros de Processamento de Dados (CPD), Salas de Mídias, Instalações de Telecomunicações, Salas de Controle, Robôs, Praças de Máquinas de navios, entre outros.

FE-227 é um gás inerte, não corrosivo, não combustível e não reagente com a maioria das substâncias. Em se tratando de um agente sintético de chamas, o agente extintor FE-227 não ataca a camada de Ozônio (ODP=0). Este agente é fornecido com certificado emitido pela Dupont, para a aplicação específica de combate a incêndios.


INFORMAÇÕES TÉCNICAS

O SISTEMA FIXO FE-227 é constituído de cilindros de aço, para baixa pressão, onde é armazenado o agente extintor, dotados de válvulas de disparo por acionamento automático e /o manual.

O agente FE-227 é distribuído e descarregado nos ambientes por meio de uma malha de tubos e bicos nebulizadores, dimensionados de modo a proporcionar uma distribuição uniforme e obter a correta concentração do agente extintor no ambiente.


Propriedades Físicas:

- Estrutura Química ----------------------- CF3CHFCF3
- Denominação ------------------- Heptafluoropropano
- Peso Molecular Aproximado ----------------------- 34
- Ponto de Ebulição --------------------------- 16,36°C
- Ponto de Congelamento -------------------- 131,1°C


BUCKA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

C.Postal 54 - CEP: 13315-000 - Cabreúva - S. Paulo - Brasil - Tel: 11- 3935-4280 - Fax: 11-3935-4287 - Web: www.bucka.com.br - e-mail: bucka@bucka.com.