2.3.16

Medidas e equipamentos de proteção coletiva e individual - EPI - EPC - Definições de EPC e EPI - Quando usar o EPI - Como escolher o EPI - Classificação dos EPIs - Cabeça - Olhos e Nariz - Ouvidos - Braços, Mãos e dedos - Tronco - Pernas e pés - Corpo inteiro - Obrigações legais - Cabe ao empregador - Cabe ao empregado

Medidas e equipamentos de proteção coletiva e individual

Para prevenir os acidentes e as doenças decorrentes do trabalho, a ciência e as tecnologias colocam à nossa disposição uma série de medidas e equipamentos de proteção coletiva e individual.

As medidas e os equipamentos de proteção coletiva visam, além proteger muitos trabalhadores ao mesmo tempo, à otimização dos ambientes de trabalho, destacando-se por serem mais rentáveis e duráveis para a empresa.



Exemplos

- Limpeza e organização dos locais de trabalho.
- Sistema de exaustão colocado em um ambiente de trabalho onde há poluição.
- Isolamento ou afastamento de máquina muito ruidosa.
- Colocação de aterramento elétrico nas máquinas e equipamentos.
- Proteção nas escadas através de corrimão, rodapé e pastilha antiderrapante.
- Instalação de avisos, alarmes e sensores nas máquinas, nos equipamentos e elevadores.
- Limpeza ou substituição de filtros e tubulações de ar-condicionado.
- Instalação de pára-raios.
- Iluminação adequada.
- Colocação de plataforma de proteção em todo o perímetro da face externa dos prédios nas obras de construção, demolição e reparos.
- Isolamento de áreas internas ou externas com sinalização vertical e horizontal.

Definições de EPC e EPI

Equipamento de Proteção Coletiva - EPC: é toda medida ou dispositivo, sinal, imagem, som, instrumento ou equipamento destinado à proteção de uma ou mais pessoas.


Equipamento de Proteção Individual - EPI: é todo dispositivo de uso individual, destinado à proteção de uma pessoa.



Quando usar o EPI
- Quando não for possível eliminar o risco por outras medidas ou equipamentos de proteção coletiva.
- Quando for necessário complementar a proteção coletiva.
- Em trabalhos eventuais ou emergenciais.
- Em exposição de curto período.


Como escolher o EPI

A escolha do EPI deve ser feita por pessoal especializado, conhecedor não só do equipamento, como também das condições em que o trabalho é executado.

É preciso conhecer também o tipo de risco, a parte do corpo atingida, as características e qualidades técnicas do EPI, se possui Certificado de Aprovação - CA do Ministério do Trabalho e Emprego e, principalmente, o grau de proteção que o equipamento deverá proporcionar.

Classificação dos EPIs
Os equipamentos de proteção individual são classificados de conformidade com a parte do em corpo que deve ser protegida.

- Cabeça - protetores para o crânio e para o rosto. Para o crânio, usam se diversos tipos de capacetes ou chapéus, e para o rosto utilizam-se protetores faciais;

- Olhos e nariz - óculos e máscaras;



- Ouvidos - protetores auditivos tipo concha ou plugs de inserção;



- Braços, mãos e dedos - luvas, mangotes e pomadas protetoras;



- Tronco - aventais e vestimentas especiais;



- Pernas e pés - perneiras, botas ou sapatos de segurança;



Corpo inteiro - cintos de segurança contra quedas ou impactos.



Obrigações legais

Cabe ao empregador:
- adquirir o tipo adequado à atividade do empregado;
- fornecer gratuitamente ao empregado somente EPI aprovado pelo Ministério do Trabalho e Emprego através do Certificado de Aprovação -CA;
- orientar o trabalhador sobre o seu uso;
- tornar obrigatório o uso;
- substituí-lo, imediatamente, quando danificado ou extraviado;
- responsabilizar-se pela sua higienização e manutenção periódica.


Cabe ao empregado:
- usá-lo apenas para a finalidade a que se destina;
- responsabilizar-se por sua guarda e conservação;

- comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário