11.4.11

Como evitar o afogamento ou acidentes nas águas

Regras Fundamentais para livrar-se de Acidentes em águas

1. A principal regra é manter a calma evitando o pânico. Se esta regra tivesse sido seguida, a maioria das vítimas de afogamento poderia estar hoje viva. Lembre-se que é muito mais fácil manter-se à tona com um mínimo de esforço utilizando o tradicional nado cachorrinho. Por outro lado se o desespero se apossar da pessoa, ela desperdiçará energia muscular e mental, chegando ao esgotamento das energias rapidamente, sendo privada da lucidez necessária para dominar a situação em que se encontra.

2. Procure respirar profundamente. A respiração rápida, além de contribuir para o cansaço, diminui a flutuação. Quando se inspira profundamente, a força de flutuação é superior ao peso do corpo. Por isso, quando os pulmões estão cheios de ar, boiamos como se fôssemos uma bóia. Se as pessoas que se encontram em dificuldades na água se lembrassem do princípio da Física, segundo o qual diz que quando os pulmões estão cheios de ar, somos mais leves que a água, e, por isso, somos capazes de flutuar por algum tempo com o corpo na horizontal e completamente imóvel. Muitas vítimas poderiam ter sido salvas se estivessem lembrado desse pequeno detalhe.

3. Enquanto procurar ficar à tona, mantenha um braço esticado o máximo possível. Isso assinala um banhista em apuros. Pedir socorro funciona muito bem; mas, cuide para não esgotar-se de tanto gritar.

4. Se uma correnteza o estiver arrastando, não nade contra ela; vá a favor e diagonalmente, na direção mais próxima. Não se apavore.

5. Aprenda a boiar, utilizando suaves movimentos com as pernas. O principal problema de um banhista em apuros é o esgotamento. Boiando, você recupera as forças e tem tranqüilidade para fazer uma avaliação objetiva de suas opções de saída.

6. Caso sinta câimbras, proceda da seguinte maneira:

* Pare de nadar e procure boiar;

* Vire-se de costas, bóie e peça ajuda;

* Estender o músculo contraído (se for da coxa, estirar a ponta do pé; na panturrilha (barriga da perna), movimentar o pé no sentido da tíbia (osso da canela);

* Quando a câimbra cessar, apóie-se na borda da piscina ou mude o estilo do nado. O problema pode voltar;

* Se o nadador estiver cansado ou distante da borda, como já citado, deve boiar elevando um de seus braços para chamar a atenção. Quando alguém vier em seu socorro, ele deve manter-se calmo e obedecer as instruções do atendente. Não deve tentar agarrar-se ao socorrista;

* Se o auxílio não chegar, boiar de costas e relaxar, até ter condições de chegar à borda, ou a margem.

7. Se você se enroscou em mato, cipó ou galho, não esperneie como um louco. Movimentos suaves serão mais eficientes para solta-lo rapidamente.



Bombeiroswaldo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário